Áreas verdes em ambientes médicos contribuem para saúde mental de pacientes – André Gomes
Siga nas redes sociais

Negócios

Áreas verdes em ambientes médicos contribuem para saúde mental de pacientes

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Warwich, no Reino Unido, relaciona o convívio com áreas verdes com um maior bem-estar mental. A ciência comprovou melhorias da saúde física e psicológica das pessoas em tratamento médico que têm contato com o verde. Por isso, muitos hospitais e clínicas criaram os healing gardens, ou jardins de cura, feitos para melhorar os resultados clínicos e também como refúgio.

Pensando na saúde mental de usuários e seguindo uma tendência mundial de áreas verdes dentro de unidades de saúde, o OMNI – novo shopping, empresarial no setor de saúde e residencial que será construído no bairro de Manaíra – apostou em áreas com vegetação e espaços de convivência, pontos que influenciam o bem-estar mental. A edificação ainda terá um jardim multissensorial de quase 900 m². Neste Janeiro Branco, mês que faz um alerta para cuidados com a saúde mental, a Hofmann Station (responsável pelo empreendimento) destaca a preocupação no OMNI com o cuidado humano a partir da criação de espaços acolhedores.

Especialmente em ambientes hospitalares e laborais, é possível observar os efeitos positivos de estar mais perto do verde. Desde os traços da calçada até os jardins e áreas de convivência nos pavimentos superiores do empreendimento, as arquitetas paisagistas Patrícia Lago e Ariadne Marques criaram uma linguagem única, que permeia os espaços internos e externos e gera identidade para toda a edificação.

O objetivo do empreendimento foi quebrar a barreira imaginária entre o exterior e o interior da edificação e idealizar espaços que sejam catalisadores da interação humana com a natureza. Entre os destaques do paisagismo estão as calçadas amplas como uma interface entre espaço público e privado, uma escadaria criada no acesso às lojas, que estimula a apropriação do espaço, e o átrio, que dá apoio ao auditório e foi planejado para ser uma grande área de estar. Neste último espaço, o coração do OMNI, que dá acesso ao medical center, foram projetadas jardineiras e mobiliário diferenciado, como grandes sofás e office pods, que permitem atividades em grupo e individuais, com privacidade para pequenas reuniões. Uma área com potencial para ser um dos espaços preferidos do público.

“O OMNI representa modernidade, tecnologia, sobriedade e equilíbrio – traduzimos estes conceitos em formas retilíneas e materiais como madeira, granito, pedras, concreto e metais. Porém, existe uma preocupação intensa com o bem-estar do usuário, e é aí que entra o verde. Ele é protagonista entre os materiais, quebrando um pouco da austeridade dos demais”, afirma Patrícia.

Medical Center

O mobiliário foi projetado para acomodar perfeitamente as espécies vegetais. Fluxos de passagem criados em uma escala “que abraça o usuário” permitem que o edifício seja igualmente funcional e acolhedor. “O OMNI tem um novo olhar para usos que geralmente são pouco convidativos, em especial o hospitalar. Acreditamos que o paisagismo desempenha um papel fundamental na quebra desse estigma, já que a natureza é automaticamente relacionada ao bem-estar e acolhimento, à reconexão com as nossas origens como seres humanos”, declara Ariadne.

Espaço verde

Os frequentadores do OMNI terão o primeiro healing garden de João Pessoa. “Quando temos o objetivo de abrigar pacientes, profissionais da saúde e acompanhantes em um espaço, entendemos que são pessoas que passam por momentos de estresse intenso no cotidiano e que poderão ter neste jardim um local de escape aos desafios que enfrentam durante uma passagem ou uma internação hospitalar. Por isso, tentamos estimular todos os sentidos do usuário, para que ele se sinta imerso em uma atmosfera à parte, a apenas alguns passos de distância dos consultórios e clínicas”, afirma a arquiteta paisagista Patrícia Lago.

O jardim multissensorial está localizado em uma ampla área de terraço, com quase 900 m2 , com acesso irrestrito a todos os usuários do OMNI Medical. Sua principal função é reconectar as pessoas à natureza. No healing garden elas podem baixar os níveis de ansiedade, expectativa, estresse, e ter uma experiência incomum. O espaço tem condições de proporcionar resultados físicos concretos para quem está em recuperação de alguma enfermidade e relaxamento para os demais usuários. Esperar pela própria consulta ou por um familiar que esteja passando por algum procedimento médico pode se tornar prazeroso por conta de um café estrategicamente posicionado no healing garden, complementando a sensação de bem-estar.

“As pessoas buscam hoje, mais do que nunca, ar puro para respirar, contato com a natureza. O verde da fachada também é usado na parte interna. Todas as áreas estão em sintonia, inclusive pelo uso de materiais como madeira, pedras naturais, imagens das praias locais e da areia vermelha típica da maré baixa, fotos de barcos e jangadas. Trabalhei a simplicidade, a essência, um ambiente mais limpo e contemporâneo, sem muitos objetos. Mais orgânico, que remete à vida, à alegria, ao lazer, ao convívio e ao aconchego”, descreve Lana.

Segundo o arquiteto Leo Maia, mesmo com todo o advento da tecnologia, é possível sentir-se abraçado e acolhido nesse espaço, pelo diálogo com a natureza. É um ambiente aprazível para quem vai habitar, trabalhar, comprar ou mesmo fazer uma refeição. “Queremos que o OMNI seja um grande catalisador de pessoas. Com processos de socialização frutíferos e positivos”, afirma Léo.

O OMNI

A ambientação do empreendimento acompanha a ideia do projeto arrojado, voltado para um novo tempo e que ressalta a importância da integração com a natureza. A inspiração da arquiteta responsável pela ambientação do empreendimento e interiores, Lana Débora, foi o que João Pessoa tem de melhor: as praias, o mar e a possibilidade de aproveitar tudo de bom que a natureza tem a oferecer.

O projeto arrojado e humanizado contou com o trabalho Fernanda Ventura, arquiteta especializada em saúde; Lana Débora, arquiteta de interiores; Léo Maia, arquiteto e as paisagistas Patrícia Lago e Ariadne Marques.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Negócios

Se o conceito de ‘moradia inteligente’ se refere a espaços bem aproveitados, a ideia de ‘cidade inteligente’ vai um pouco mais além – especialistas...

Negócios

Liberdade financeira, geográfica e de horário. O desejo da maioria das pessoas que buscam ingressar em nova profissão pode ser encontrado no mercado financeiro....

Negócios

Um happy hour regado a network e as tendências do mercado imobiliário de João Pessoa marcou a primeira edição do “Station Memorável”, ação promovida...

Negócios

Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o ambiente construído é responsável por 19% dos fatores que afetam a saúde e o bem-estar das...

Copyright © 2020 js freelas.