Pandemia gera crise na produção das flores de Pilões e floricultores lançam campanha para sobreviver e recomeçar – André Gomes
Siga nas redes sociais

Cotidiano

Pandemia gera crise na produção das flores de Pilões e floricultores lançam campanha para sobreviver e recomeçar

Eles já foram responsáveis por levar o nome da Paraíba aos 4 cantos do mundo. Durante anos embelazaram as casas e as vidas dos paraibanos e estenderam toda a beleza de seu trabalho para o Brasil e vários outros países. Mas, a pandemia acabou com tudo e o cenário vivido pelas floricultoras e floricultores de Pilões agora é desolador. Sem dinheiro, com dívidas, sem produção e sem saída, os integrantes da Cooperativa dos Floricultores do Estado da Paraíba lançaram uma campanha de arrecadação para tentar recomeçar.

As doações em dinheiro servirão para que as 28 mulheres e 6 homens – 34 famílias – possam resgatar o próprio trabalho e a alegria de viver, já que a crise que atingiu a Cooperativa reflete nas casas de cada um desses trabalhadores, que também se veem sem poder cumprir com seus compromissos pessoas, pois dependem exclusivamente da produção das flores.

Desolada, a coordenadora da Cooperativa, Maria Helena Lourenço dos Santos disse que apesar de todo o sofrimento pelo qual todos vêm passando, não perde a esperança e deposita na boa vontade dos paraibanos e dos brasileiros a fé de que essas famílias terá a chance de novamente poder sobreviver do trabalho honesto que desempenham.

“Nós dependemos disso, não temos outra renda, nem outro emprego. As 28 mulheres não têm de onde buscar, nem de onde tirar. Tem 6 homens cooperados também, e estão a desejar, porque dependem da nossa produção. Antes a gente tinha como comprar comida, ir na farmácia, cumpria com nossos deveres. Escampamos da pandemia, mas dos compromissos está mito difícil. Estamos de nos enterrar vivos”, falou Helena com ar de profunda tristeza.

Para piorar ainda mais a situação, os aumentos nos preços dos insumos é outro obstáculo. “Nessa pandemia a gente perdeu, tudo e a gente não se recuperou. O custo de flores é elevado, porque tudo vem de fora. Além disso, a gente tem uma pendência com o Empreender. Além de perder tudo, o investimento que fizemos, ainda ficamos pendências. Está sendo muito difícil, não temos mais fôlego, não temos mais nada. Estamos apelando para as pessoas de bom coração pra nos ajudar para poder quitar as dívidas. Sem produção não temos dinheiro. Tudo aumentou demais, insumos, adubo, até as próprias mudas de flores e de frete, multiplicou os custos”, relatou Helena.

Para ajudar a Cooperativa de Floricultores do Estado da Paraíba o depósito de qualquer quantia pode ser feito na seguinte conta:

Banco do Brasil
Agência: 200-3
Conta Corrente: 23742-6

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Cotidiano

A temporada de festas juninas já está aberta e uma das formas mais tradicionais de comemorar é comendo comidas de milho, típicas da época....

Cotidiano

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, alerta para a previsão de chuvas intensas na região Nordeste ao longo...

Cotidiano

O Sistema Nacional de Emprego (Sine-PB) oferece, a partir de segunda-feira (20), 338 vagas de emprego em sete municípios paraibanos: João Pessoa, Campina Grande,...

Cotidiano

O Sistema Nacional de Emprego (Sine-PB) oferece, a partir de segunda-feira (13), 557 vagas de emprego em oito cidades, sendo elas João Pessoa, Campina...

Copyright © 2020 js freelas.