Zoonoses: 60% das doenças infecciosas humanas têm origem em animais – André Gomes
Siga nas redes sociais

Cotidiano

Zoonoses: 60% das doenças infecciosas humanas têm origem em animais

Dados da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) mostram que cerca de 60% das doenças encontradas em humanos são resultado de doenças dos animais, que são transmitidas para humanos. Já o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) aponta que todos os anos, cerca de dois milhões de pessoas, principalmente de países de baixa e média renda, morrem devido a doenças zoonóticas negligenciadas. Raiva, febre maculosa e leptospirose estão entre as mais comuns, que podem trazer diversos transtornos e até mesmo levar à morte.

Nesta quinta-feira (6), Dia Mundial das Zoonoses, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Paraíba (CRMV-PB) destaca a importância dos veterinários e zootecnistas no combate à proliferação dessas enfermidades que afetam animais e humanos e podem provocar danos à economia, problemas de saúde e até levar à morte.

O conselheiro do CRMV-PB e médico-veterinário, Wilson Wouflan Silva, explica que as enfermidades de caráter zoonótico são causadas  por vírus, bactérias, fungos e parasitas. Assim, a transmissão pode acontecer de forma direta, por contato físico, alimentos, objetos contaminados e por vetores biológicos, como mosquitos e carrapatos.

Entre as viroses mais comuns e conhecidas, o veterinário destaca a raiva. Ela é transmitida principalmente por meio da mordida ou arranhão de um animal infectado e leva à morte em quase 100% dos casos. Já a leptospirose é transmitida pela urina do rato contaminado com a bactéria ‘leptospira’. A febre maculosa, zoonose que ganhou repercussão nacional recentemente, é disseminada pela larva do carrapato estrela.

“O manual de vigilância, prevenção e controle de zoonoses do Ministério da Saúde aponta que as ações de prevenção de zoonoses devem ser executadas de forma temporária ou permanente, dependendo do contexto epidemiológico. Nesse contexto, o médico-veterinário é o profissional que pode atuar nos pilares da saúde pública, promovendo o controle e prevenção das doenças”, ressaltou.

Prevenção

Além da vacinação animal, Wilson Wouflan Silva destaca medidas como educar e conscientizar a comunidade sobre a prevenção de zoonoses, assim como ações de manejo ambiental para controlar ou eliminar vetores e roedores.

Dados

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma existir mais de 200 tipos de zoonoses. Em todo o mundo, as zoonoses respondem por 62% da Lista de Doenças de Notificação Compulsória; 60% dos patógenos reconhecidos (vírus, bactérias, protozoários, parasitas e fungos) e 75% das doenças emergentes.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + catorze =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Cotidiano

O Sistema Nacional de Emprego da Paraíba (Sine-PB), a partir desta segunda-feira (13), disponibiliza 461 vagas de emprego, em 11 municípios paraibanos. Em João...

Cotidiano

O Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB) vai realizar em breve um concurso público para o provimento de vagas e  formação de...

Cotidiano

Atendendo solicitação do Ministério Público Estadual, o Conselho Regional de Medicina Veterinária da Paraíba (CRMV-PB) realizou, nesta quarta-feira (8), uma inspeção no Centro de...

Cotidiano

O Sistema Nacional de Emprego da Paraíba (Sine-PB) inicia o mês de maio disponibilizando 613 vagas de emprego, em 10 municípios paraibanos. Na próxima...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.