Vereador Bruno Farias critica plano de retomada da Prefeitura de João Pessoa: “É puro amadorismo” – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

Vereador Bruno Farias critica plano de retomada da Prefeitura de João Pessoa: “É puro amadorismo”

O parlamentar acredita que, embora os indicadores estejam evoluindo, a flexibilização não acompanha esse progresso

Foto: Divulgação

Em plena execução da 2ª Fase de seu plano de flexibilização, a gestão municipal demonstra incoerência, insensibilidade, falta de planejamento, ausência de diálogo com o setor produtivo e indiferença com empreendedores e trabalhadores, na opinião do vereador e presidente do Cidadania-JP, Bruno Farias.

“Qual a lógica, por exemplo, em proibir atividades físicas individuais em lugares abertos e permitir a volta do futebol profissional? Sem diálogo com a cidade, sem planejamento e com base em achismos, a PMJP vai conduzindo João Pessoa em meio a um dos momentos mais desafiadores da sua história. Esse amadorismo precisa acabar”, cobra.

A personal trainer, Fabiola Monteiro, também não vê lógica nessa proibição. “Não tem lógica. A prática regular de exercícios está associada a uma melhora na função imunológica, otimizando as defesas do organismo diante de agentes infecciosos. Estamos enfrentando a pandemia do covid e do sedentarismo”.

Outra prova da falta de planejamento da gestão municipal é o atraso no retorno do transporte público coletivo, uma vez que a prefeitura pediu mais uma semana para higienizar paradas de ônibus e terminais de integração, bem como definir o protocolo de retorno. “Lógico que as medidas são importantes, mas a prefeitura não sabia que deveriam ser realizadas? Por que o protocolo de retorno do transporte público já́ não estava pronto? Por que não ter dialogado com o setor de transporte com antecedência? Por que tanto improviso para tratar algo tão sério que impacta tão duramente a nossa cidade?”, questiona Bruno.

O parlamentar acredita ainda que, embora os indicadores estejam evoluindo, a flexibilização não acompanha esse progresso e uma das grandes consequências recai nos ombros dos comerciantes. “A dura realidade é que, por exemplo, muitos bares e restaurantes não terão mais condições elementares e saúde financeira para retomarem as suas atividades. Demitiram colaboradores, pagaram pesados e elevados encargos sociais, tributários e trabalhistas, e também não tiveram acesso ao crédito através do PRONAMPE. Uma pena essa situação”, avalia.

Segundo Bruno é preciso compatibilizar a proteção da saúde e a preservação de empreendimentos e de postos de trabalho. O Setor de Alimentação Fora do Lar já dispõe de protocolos rígidos de segurança, higiene e distanciamento social que, uma vez adotados, vão, a um só tempo, salvar vidas, empregos e empresas. “Se a abertura ampla, total e irrestrita é medida inconsequente, insensata e irresponsável, o fechamento e a proibição de funcionamento não são a cura, a vacina, o antídoto ou a medida profilática mais indicada”.

O empresário Fábio Bezerra Cavalcanti concorda. “Os restaurantes de João Pessoa, pedem socorro! Aliás, o comércio em geral, clama por isso. O vereador está de parabéns pela sensibilidade em perceber isso e defender nossa bandeira”, declara.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

O ponto facultativo do Dia do Servidor, comemorado tradicionalmente no dia 28 de outubro pela Prefeitura de João Pessoa, será transferido neste ano para...

Política

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) dá seguimento a uma nova pauta de distribuição de vacinas contra a covid-19. Nesta quarta-feira (20), serão...

Política

A Prefeitura de João Pessoa começa a aplicar, nesta quarta-feira (20), a D1 em adolescentes a partir de 14 anos sem comorbidade. A campanha...

Política

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), inaugura, nesta quinta-feira (21), na cidade de São José de Piranhas (PB), o...

Copyright © 2020 js freelas.