17 mil mulheres terão câncer de colo de útero este ano; Camila Toscano chama atenção para diagnóstico precoce e vacinação – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

17 mil mulheres terão câncer de colo de útero este ano; Camila Toscano chama atenção para diagnóstico precoce e vacinação

Este ano, 17 mil mulheres serão diagnosticadas com câncer de colo de útero, segundo estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA). Neste março lilás, marcado pela campanha de conscientização e enfrentamento da doença, a deputada estadual Camila Toscano (PSDB) chama atenção para a importância de realizar o exame papanicolau para o diagnóstico precoce, além da vacinação contra o Papiloma Vírus Humano (HPV) para impedir novos casos.

A deputada observa que para entender a importância da vacinação contra o HPV, cabe destacar que sete em cada 10 casos de câncer de colo de útero são causados por este vírus, tornando a maioria dos quadros preveníveis. Além disso, o HPV causa nove em cada 10 casos de câncer de ânus e está relacionado a neoplasias malignas no pênis, vagina, vulva, boca e garganta.

Dados mostram que apesar dos inúmeros benefícios da imunização contra o HPV, o Brasil tem uma baixa cobertura vacinal histórica contra o vírus. Segundo a Agência Brasil, em 2022, apenas 58,29% dos menores de idade que compõem o grupo alvo da imunização receberam duas doses da fórmula. Entre os meninos, a porcentagem é ainda menor, sendo de 38,2%. Para impedir casos de câncer preveníveis no futuro, esta tendência precisa ser revertida.

“É fundamental falarmos sobre esse tema e reforçar os cuidados para evitar esse tipo de câncer. A importância do diagnóstico da doença em sua fase inicial, antes mesmo do aparecimento de sintomas, proporciona uma maior chance de cura devido o tratamento até esse estágio não ser tão agressivo. Precisamos falar mais sobre isso e incentivar os cuidados devidos com a saúde”, destacou Camila Toscano.

Câncer do colo do útero

É caracterizado pela replicação desordenada do epitélio de revestimento do órgão, comprometendo o tecido subjacente (estroma) e podendo invadir estruturas e órgãos contíguos ou à distância. Há duas principais categorias de carcinomas invasores do colo do útero, dependendo da origem do epitélio comprometido: o carcinoma epidermoide, tipo mais incidente e que acomete o epitélio escamoso (representa cerca de 90% dos casos), e o adenocarcinoma, tipo mais raro e que acomete o epitélio glandular (cerca de 10% dos casos). Ambos são causados por uma infecção persistente por tipos oncogênicos do HPV.

É uma doença de desenvolvimento lento, que pode cursar sem sintomas em fase inicial e evoluir para quadros de sangramento vaginal intermitente ou após a relação sexual, secreção vaginal anormal e dor abdominal associada com queixas urinárias ou intestinais nos casos mais avançados (INCA, 2021a).

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 4 =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), Nominando Diniz, tomou posse como prefeito de João Pessoa nesta quarta-feira (17). Nominando assume o...

Política

O prefeito Cícero Lucena viaja, nesta quinta-feira (18), para Paris, na França, onde cumpre etapas para firmar contrato importante com a Agência Francesa de...

Política

O deputado estadual Dinho Papa-léguas (PSDB) rebateu as fake news sobre a disputa eleitoral em Campina Grande e reafirmou que é pré-candidato a vereador...

Política

Estão abertas as inscrições para o I Seminário Extraordinário Memorial de Gestão e Transição que será realizado no próximo dia 25 de julho, em...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.