Ao lado da ministra das Mulheres, deputada Doutora Paula defende políticas públicas que combatam a misoginia no país – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

Ao lado da ministra das Mulheres, deputada Doutora Paula defende políticas públicas que combatam a misoginia no país

A deputada estadual e secretária da Mulher na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Doutora Paula (Progressistas), destacou nesta quinta-feira (25), durante sessão especial de lançamento da campanha Brasil sem Misoginia, com a presença da ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, que a sessão especial garantiu mais visibilidade à iniciativa e foi importante para sensibilizar a população sobre o combate a violência contra a mulher. A parlamentar defendeu a elaboração de políticas públicas capazes de combater a misoginia no país.

“A campanha vem para fortalecer o combate a misoginia. Precisamos de políticas públicas que sejam capazes de acabar com a misoginia e garanta igualdade de gênero. Vemos que a violência contra as mulheres aumenta a cada dia e precisamos dar um basta. A presença da ministra na nossa Assembleia Legislativa foi importante para alcançarmos o maior número de parceiros no enfrentamento contra essa violência. Nosso mandato tem trabalhado nesse sentido, com o objetivo de reduzirmos ao máximo a violência contra as mulheres no nosso estado”, disse Doutora Paula.

A ministra Cida Gonçalves destacou que uma das missões da campanha ‘Brasil sem Misoginia’ é combater o feminicídio, sendo a misoginia parte propulsora de todas as formas de violência contra a mulher. Somente em 2022, 1.400 brasileiras foram mortas simplesmente por serem mulheres, conforme o Anuário da Segurança Pública. Segundo ela, aumentou a intolerância e o ódio no país e o ministério tem enfrentado o problema em diversos eixos, sobretudo na educação. “Precisamos trabalhar uma ressocialização da sociedade brasileira para a paz”, disse.

A campanha Brasil sem Misoginia tem como objetivo mobilizar os mais diversos setores da sociedade para o combate ao ódio e à discriminação e violência contra a mulher. Desenvolve ações junto com Google, Facebook, Meta e Youtube para combater o discurso de ódio e s exposição, por meio da divulgação de fotos íntimas e falsas, de mulheres nas redes sociais. Conforme a ministra, a campanha também tem como foco o combate à violência de gênero, à desigualdade salarial entre homens e mulheres, a prevenção da violência doméstica e a ampliação da presença feminina nos espaços de poder.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 + dezessete =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

O governador João Azevêdo recebeu, nesta quinta-feira (23), em João Pessoa, o embaixador de Portugal no Brasil, Luís Felipe Faro, ocasião em que apresentou...

Política

As principais regras para as Eleições municipais deste ano serão abordadas no Workshop Eleições 2024, que será realizado no próximo dia 28 de maio,...

Política

O Tribunal de Contas do Estado vai criar um grupo de trabalho para analisar os indicadores do Estado em relação ao alto índice de...

Política

O governador João Azevêdo anunciou a antecipação do pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário para todos os servidores públicos estaduais, que será...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.