Atendendo ofício de Pedro, Congresso Nacional se ilumina com as cores da causa LGBTQIA+ pela primeira vez – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

Atendendo ofício de Pedro, Congresso Nacional se ilumina com as cores da causa LGBTQIA+ pela primeira vez

A projeção com as cores do arco-íris no Palácio Nereu Ramos também referido como Palácio do Congresso Nacional ocorreu por 15 minutos, por volta das 20h

Pela primeira vez na história o Congresso Nacional de iluminou com as cores do arco-íris para mostrar o respeito à diversidade no Dia do Orgulho LGBTI. A iniciativa partiu do deputado federal e presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Pedro Cunha Lima (PSDB), que encaminhou ofício ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), solicitando que as luzes da cúpula da Casa Legislativa fossem acesas para marcar a data ocorrido neste domingo (28). Para Pedro, a iniciativa demonstra o reconhecimento à pluralidade e à luta por respeito.

A projeção com as cores do arco-íris no Palácio Nereu Ramos também referido como Palácio do Congresso Nacional ocorreu por 15 minutos, por volta das 20h. O edifício construído para abrigar o Congresso Nacional do Brasil foi inaugurado em 1960. Concebido pelo arquiteto Oscar Niemeyer, com projeto estrutural do engenheiro Joaquim Cardozo, é um dos três edifícios monumentais que definem a Praça dos Três Poderes, sendo os demais o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal.

No domingo, o deputado Pedro lembrou que os jovens LGBTQIA+ enfrentam sérios problemas, principalmente dentro do ambiente escolar quando muitos acabam desistindo de estudar em decorrência do preconceito sofrido. Dados da Pesquisa Nacional sobre o Ambiente Educacional no Brasil – ‘As experiências de adolescentes e jovens LGBTQIA+ em nossos ambientes educacionais’ mostram que cerca de 73% dos alunos foram agredidos verbalmente e 36% foram agredidos fisicamente dentro de escolas em decorrência da orientação sexual.

“Não é possível compreender os motivos para tanta violência contra as pessoas LGBTQIA+, que em muitos casos, não têm oportunidade de vida por conta da violência e do preconceito. Não é admissível qualquer tipo de violência, mas dentro das escolas o problema nos parece bem mais grave, uma vez que esse é o espaço do aprendizado, do saber e do respeito pelas diferenças. A educação é direito de todos e a única maneira de garantirmos igualdade em todos os sentidos. O Brasil precisa parar de brigar ideologicamente e partir para o que é essencial, que é tratar seus filhos igualmente, oferecendo oportunidades e segurança. Temos que construir relações de gênero e diversidade no nosso País. Isso é questão de cidadania”, destacou Pedro.

Para melhorar os níveis educacionais e garantir mais respeito aos LGBTQIA+ nas escolas, o deputado defendeu uma mudança na formação dos professores, pois entende ser peça chave no combate de qualquer tipo de preconceito e agressão por identidade de gênero e orientação sexual. Segundo ele, é preciso uma formação com conteúdos específicos voltados para a diversidade.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

O ponto facultativo do Dia do Servidor, comemorado tradicionalmente no dia 28 de outubro pela Prefeitura de João Pessoa, será transferido neste ano para...

Política

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) dá seguimento a uma nova pauta de distribuição de vacinas contra a covid-19. Nesta quarta-feira (20), serão...

Política

A Prefeitura de João Pessoa começa a aplicar, nesta quarta-feira (20), a D1 em adolescentes a partir de 14 anos sem comorbidade. A campanha...

Política

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), inaugura, nesta quinta-feira (21), na cidade de São José de Piranhas (PB), o...

Copyright © 2020 js freelas.