Central de Saúde-Seap para Covid-19 dá assistência a policiais penais e familiares – André Gomes
Siga nas redes sociais

Cotidiano

Central de Saúde-Seap para Covid-19 dá assistência a policiais penais e familiares

Sérgio Fonseca explica que o trabalho da Central começa com o recebimento das demandas que chegam das direções das unidades prisionais

Foto: Secom-PB

Com o objetivo de oferecer melhor assistência médica, psicológica e social a policiais penais e familiares, a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap) implantou há duas semanas a Central de Atendimento Seap para Covid-19.

A equipe é formada por oito profissionais, sendo um médico, duas enfermeiras, um enfermeiro, dois cirurgiões dentistas, uma psicóloga e duas assistentes sociais, que atuam na sede da Seap, em Jaguaribe, Centro Administrativo; na Penitenciária de Segurança Média “Hitler Cantalice”, em Mangabeira, além de visitas em residências das pessoas com Covid-19 ou que necessitem de outra assistência. Centenas de contatos já foram realizados pela equipe nessas duas semanas de funcionamento.

O secretário Sérgio Fonseca avalia que a Central de Atendimento Covid-19 tem realizado um trabalho essencial. “Estamos cumprindo o que estabelecemos no nosso Plano de Contingência elaborado em março e envidando esforços para assistir com agilidade, profissionalismo e humanização nossos policiais penais e familiares que porventura sejam acometidos por essa doença invisível que nos leva a ter cuidados preventivos e extremamente necessários”, comentou.

Sérgio Fonseca explica que o trabalho da Central começa com o recebimento das demandas que chegam das direções das unidades prisionais a respeito de casos suspeitos de Covid-19. A equipe então liga para o policial penal, faz uma entrevista, coleta dados, informações sobre os sintomas, endereço, e, feita a triagem, a próxima etapa é o agendamento para o teste rápido, que pode ser feito na Penitenciária Média ou no Hospital Edson Ramalho. Nos casos de testagem com resultado positivo o policial penal ou familiar passa a ser orientado e acompanhado por profissionais da Central, inclusive com visitas domiciliares, caso necessário, ou em hospitais. Esse contato é mantido durante o tratamento ou quarentena e após o paciente se recuperar.

Até sexta-feira (15) nove policiais penais já se encontravam na estatística de recuperados da Covid-19. Após a doença, o servidor deve ficar mais cinco dias em quarentena para poder voltar ao trabalho, isto após avaliação médica.

O presidente da Associação dos Policiais Penais da Paraíba, Wagner Falcão, parabenizou a Seap pela iniciativa da Central de Atendimento, que trabalha com a prevenção à Covid-19. “A equipe aqui age preventivamente, a gente procura colaborar também, encontrar os medicamentos, levar em mãos as receitas às pessoas, ou seja, dá todo suporte ao servidor, é uma ação preventiva e está dando certo”, ressaltou. Diariamente o representante da categoria comparece à Central para coletar informações sobre casos suspeitos ou confirmados, além de também repassar notícias à equipe.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 11 =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Cotidiano

Considerada uma das refeições mais importantes do dia, o café da manhã não é priorizado por todos: um estudo feito por pesquisadores da Universidade...

Cotidiano

A Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim) celebrou esta semana o centenário de Geraldo Gomes Beltrão, um paraibano de destaque que atuou como advogado...

Cotidiano

O risco de morte prematura em usuários atuais ou antigos de esteroides anabolizantes é quatro vezes maior em relação a quem nunca usou, segundo...

Cotidiano

Nesta quarta-feira (3), último dia de inscrição para concorrer às eleições para a reitoria da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), a candidata Terezinha Domiciano...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.