Conselheira paraibana debate abertura indiscriminada de cursos de medicina no Congresso – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

Conselheira paraibana debate abertura indiscriminada de cursos de medicina no Congresso

A médica e conselheira do Conselho Federal de Medicina (CFM) pela Paraíba, Annelise Meneguesso, participou de reunião da Frente Parlamentar Mista da Medicina, deliberando sobre temas de interesse da classe a exemplo do Decreto Presidencial 11.999/24 que altera a composição da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) e sobre a abertura indiscriminada de escolas médicas e o comprometimento da qualidade do ensino.

“Foi uma reunião importante que contou com representantes de mais de 30 entidades e sociedades médicas. Pudemos discutir os temas e avançar em diversos pontos que serão fundamentais para enfrentarmos esses problemas dentro da medicina no Brasil”, disse a médica.

De acordo com Annelise, a Frente Parlamentar Mista da Medicina, presidida pelo senador Hiran Gonçalves, deliberou sobre alguns pontos como: a abertura de uma linha de negociação com o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin (que é médico), e também a apresentação de propostas da classe médica sobre o Decreto 11.999/24.

As propostas sugeridas são: a exclusão da Câmara Recursal (que teria poder de veto das decisões do plenário da CNRM); paridade de membros do governo / entidades médicas na CNRM; manutenção das competências do secretário executivo da CNRM; obrigatoriedade de que todos os votantes da CNRM sejam médicos salvo o secretário da SESU; exclusão da criação de câmaras técnicas regionais uma vez que a CNRM já é um órgão nacional com decisões uniformes.

Annelise Meneguesso destacou ainda que na possibilidade de não haver consenso sobre as propostas, já existem dois projetos de Decretos Legislativos apresentados pelo deputado Doutor Luizinho (RJ) e pelo senador Hiran Gonçalves (RR), para derrubar o decreto governamental.

Escolas de Medicina

Sobre a abertura indiscriminada de escolas médicas e o comprometimento da qualidade do ensino, foi defendida a aplicação de um teste de proficiência para obtenção do grau de médico para as próximas gerações.

Já tramita no Congresso um projeto de lei do deputado Doutor Luizinho que prevê a aplicação da prova para obtenção do grau de médico em três etapas, sendo uma no segundo ano, uma no quarto ano e outra no final do curso de medicina. A apresentação do projeto contou com o apoio de todas as entidades presentes, inclusive da Associação Nacional dos Médicos Residentes e da Associação dos Estudantes de Medicina.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − 1 =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

O governador João Azevêdo recebeu, nesta quinta-feira (23), em João Pessoa, o embaixador de Portugal no Brasil, Luís Felipe Faro, ocasião em que apresentou...

Política

As principais regras para as Eleições municipais deste ano serão abordadas no Workshop Eleições 2024, que será realizado no próximo dia 28 de maio,...

Política

O Tribunal de Contas do Estado vai criar um grupo de trabalho para analisar os indicadores do Estado em relação ao alto índice de...

Política

O governador João Azevêdo anunciou a antecipação do pagamento da primeira parcela do décimo terceiro salário para todos os servidores públicos estaduais, que será...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.