3,3 milhões têm deficiência visual; Lei de Jutay garante sistema inclusivo de atendimento e senha em braille – André Gomes
Siga nas redes sociais

Política

3,3 milhões têm deficiência visual; Lei de Jutay garante sistema inclusivo de atendimento e senha em braille

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base na Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) de 2022, mostram que Brasil tem 3,3 milhões de pessoas com deficiência, considerando a população com idade igual ou superior a dois anos. O Nordeste é a região que teve o maior percentual de população com deficiência no último ano, de 10,3%, equivalente a 5,8 milhões de pessoas.

Nesta quinta-feira (4), Dia Mundial do Braille, o deputado estadual Jutay Meneses (Republicanos), destacou a Lei nº 10.984/2017 que obriga os estabelecimentos públicos e privados a dispor, em suas salas de espera, de um sistema de chamada para atendimento ao público portador de deficiência.

Esses sistemas serão dotados de alertas visuais e avisos sonoros, indicando o nome do cliente, usuário ou paciente e ou o número da senha. Jutay explicou que os estabelecimentos que se utilizarem de senhas impressas deverão disponibilizar também em braille.

Também é de autoria do parlamentar a lei 11.013/2017 que institui o Dia Estadual do Sistema Braille na Paraíba que tem finalidade a realização de eventos destinados a reverenciar a memória de Louis Braille, divulgando e destacando a importância do seu sistema na educação, habilitação, reabilitação e profissionalização da pessoa com deficiência visual por meio de ações que fortaleçam o debate social acerca dos direitos da pessoa com deficiência visual, bem como, sua integração na sociedade por meio da inserção no mercado de trabalho, além de garantir espaço para uma discussão sobre a prevenção da cegueira.

Na Paraíba, um total de 100.617 pessoas apresenta algum tipo de deficiência visual e data estabelecida por lei, segundo o deputado, tem a finalidade de reforçar o debate sobre o assunto, buscando ações que possam promover a inclusão de modo mais efetivo. “É preciso que restaurantes, livros, placas de orientação sejam também escritas em Braille, para que o deficiente visual tenha acesso ao conhecimento e à informação com independência, assim como qualquer outra pessoa em nossa sociedade”, destacou Jutay.

O deputado ressalta que é importante o debate sobre o tema, seja em instituições públicas e privadas e de forma remota também, assim como ainda acontece com diversas atividades do cotidiano dos paraibanos. “Precisamos debater cidadania e inclusão na busca do cumprimento de direitos justos e igualitários para todos. Esse dia foi instituído para isso, para nos voltarmos sobre esse tema tão fundamental”, afirmou.

Sistema Braille

É um processo de escrita e leitura baseado em 64 símbolos em relevo, resultantes da combinação de até seis pontos dispostos em duas colunas de três pontos cada. Pode-se fazer representação tanto de letras, como algarismos e sinais de pontuação. Ele é utilizado por pessoas cegas ou com baixa visão, sendo a leitura feita da esquerda para direita ao toque de uma ou duas mãos ao mesmo tempo.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − quinze =

Publicidade
Publicidade

Notícias relacionadas

Política

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) conclama prefeitos e prefeitas da Paraíba a votarem na ‘chapa da renovação’, na eleição da...

Política

A 2ª Câmara do Tribunal de Contas da Paraíba, reunida na manhã desta terça-feira (20), impôs ao prefeito de Cacimba de Areia, Paulo Rogério...

Política

Os parlamentares estaduais aprovaram, nesta terça-feira (20), o projeto de lei 895/2023 de autoria da deputada Camila Toscano (PSDB), que institui a Campanha de...

Política

“É difícil viver em uma área de risco, principalmente na beira do rio”. O desabafo é da dona de casa Cleide Ambrósio, que vivia...

Copyright © 2023 Feito com JS Dev.